Filmes | Venom; simbionte por todo o MCU

Em 2018 estreou o filme próprio de um dos mais recentes anti-heróis da Marvel, Venom, o bom e velho inimigo do Homem-Aranha, cargo que ele ocupou por muito tempo, até que no mesmo ano de estreia do filme, começou a ser lançada uma série de quadrinhos focada somente em Venom .

Nos quadrinhos Venom(2018) escritos por Donny Cates, podemos nos aprofundar num desenvolvimento mais humanizado de Eddie Brock, que depois de tantos conflitos, está acabado e não suporta mais o simbionte ligado ao seu corpo, mas a partir disso terá que redescobrir sua vida e lutando do outro lado do elenco da Marvel como um dos mocinhos.

Falando de forma simples, os direitos de Venom, bem como vários personagens das histórias do Homem-Aranha, pertencem atualmente à Sony. Isso não necessariamente impede que sua história se integre ao universo cinematográfico da Marvel.

O Homem-Aranha, e por tabela Venom, Duente Verde, Gata Negra, Rei do Crime, dentre vários outros personagens, estão nas mãos da Sony. Porém já vimos o amigo da vizinhança lutar ao lado do Homem de Ferro e trocando uns socos com o Capitão América, entrando de cabeça no MCU. Isso aconteceu graças a necessidade da Sony de lançar filmes do Homem-Aranha a cada cinco anos. Para não perder os direitos, e felizmente, a versão mais recente do herói humorista foi feita em parceria com a Marvel Studios.

Seja por necessidade ou oportunidade, o fato de que o Homem-Aranha ingressar ao MCU implica na possibilidade de que outros personagens das suas histórias sejam conectados, que certamente inclui um dos mais notórios destes personagens. Nós somos Venom!

Com o filme de 2018, sendo um live-action, Venom é compatível com outros já produzidos pela Marvel. Por enquanto temos disponível o trailer da sequência, que será lançada em 2021. Nele, vemos Peter Parker de Tom Holland, a primeira ligação de Eddie Brock com as histórias dos outros heróis. Legal, Venom e Homem-Aranha, e o que pode vir disso?

Um cumprimento amigável entre velhos conhecidos

Se a história de Eddie Brock nos filmes seguir a linha que os quadrinhos estão atualmente, depois de um bom número de conflitos (porque isso não pode faltar quando o assunto é Venom), chegaremos ao ponto que Eddie está vivendo na HQ de Donny Cates. A parte interessante é o que ocorre nessa HQ: Deus está vindo.

Atenção, spoilers a partir daqui.

O que Eddie descobriu de uma forma nada convencional em suas mais recentes histórias, é que os simbiontes são originados de um deus antigo, que vivia na vastidão escura e vazia, antes do surgimento do universo como ele é. Esse deus é Knull, o deus dos simbiontes, e sua ambição é cobrir todo o universo em escuridão, pois o passatempo favorito dele era flutuar no escuro sem fazer nada pela eternidade.

Não foi uma boa ideia acordar esse cara. Lembra de Lugar Nenhum, dos Guardiões da Galáxia? Cabeça de celestial decapitada saindo em três, dois…

A primeira tentativa de Knull de realizar essa ambição resultou nos simbiontes se espalhando pelo universo para atacar vários planetas afora. Mas no meio disso, ele momentaneamente perdeu a conexão que tinha com a mente coletiva dos simbiontes. Com esse leve deslize, os outros simbiontes se voltaram contra ele, trancafiando-o em uma prisão feita deles mesmos, que ficou conhecida como seu planeta natal Klintar, palavra que no seu idioma quer dizer gaiola, prisão (cage, no original).

Se um simbionte humanoide já era problema, imagina em versão dragão

Depois de milênios aprisionado, Knull está tentando voltar para mais uma vez realizar suas escuras ambições (perdão pelo trocadilho), na terra seu principal agente é Carnificina (outro humano trajando simbionte), um dos vilões mais cruéis e insanos das histórias do Homem-Aranha, que dá tanta dor de cabeça para ele quanto para Venom.

O problema dessa trama é que as simbiontes podem se unir a muitas pessoas e transformá-las em um exército controlado por Knull. Na história atual, ele está despertando em seu corpo verdadeiro, preso em Klintar, enquanto seu leal e maníaco Carnificina já está colocando uma boa quantidade de pessoas sob o seu culto; Deus está vindo!

Além de outras tramas enredadas na história de Eddie Brock, Knull com certeza é uma ameaça que todos devem temer. Pelo menos ainda temos muito chão antes que o deus dos simbiontes comece a fazer seus movimentos. Tome cuidado com o que vai trazer até nós, Eddie.