Livros | Os Filhos de Húrin

Lançado postumamente por J. R. R. Tolkien, em 2007, e editado por seu filho Christopher Tolkien, os livros “Os Filhos de Húrin” (The Sons of Húrin no original) contam a história do mais trágico dos heróis de Tolkine, Túrin Turambar.

A história de Túrin Turambar

A narrativa se passa milhares de anos antes dos eventos de O Senhor dos Anéis, na primeira era do mundo. Húrin é o Senhor de uma das três grandes casas dos homens, que cai em desgraça após a esmagadora derrota dos exércitos aliados de elfos e homens contra Morgoth, o primeiro senhor do escuro. Na captura de Húrin, Morgoth lança sobre a família uma terrível maldição.

Húrin é preso a uma cadeira de onde, pelo poder de Morgoth, ele enxerga todos os males que acontecem com sua família.

Sem seu pai, este que permanece cativo no reino de Morgoth, Túrin passa por uma infância repleta de dúvidas, enquanto sua família enfrenta anos de sofrimento até que ele precise abandonar seu lar, indo morar em Doriath, onde cresce próximo ao rei e se torna um dos guerreiros que lutam nas fronteiras do reino para protegê-lo das forças de Morgoth.

Apesar do amor do rei, que o tinha como um filho, Túrin acaba por se envolver na morte de um membro da corte e abandona Doriath, indo se juntar a um bando de proscritos no exílio, se tornando o líder do grupo após matar seu antecessor.

O grupo dos proscritos se estabelece na moradia de um ananico chamado Mîm, que guardava rancor de Túrin pelos proscritos terem matado seu filho e de sua amizade com Beleg, um elfo de Doriath e amigo de longa data de Túrin, que veio ajudá-lo em seu exílio. Posteriormente, Mîm trai Túrin, resultando essa traição na morte de Beleg.

Após a morte de Beleg, Túrin é levado pelo elfo Gwindor a Nargothrond, reino governado por Orodreth. Em Nargothrond, Túrin ascende a uma posição de liderança e ordena a construção de uma ponte sobre um rio próximo a Nargothrond. Essa ponte é usada por um exército inimigo para invadir Nargothrond, que é saqueada e destruída, fazendo Túrin cair sob o encantamento do dragão Glaurung.

Após a queda de Nargothrond, Túrin se reúne a Níniel, sua irmã que havia perdido as memórias por causa de Glurung, o dragão que perseguia a família de Húrin devido a maldição imposta por Morgoth. Por causa do feitiço, Túrin e Níniel se casam sem saber de seu parentesco.

Finalmente, após serem tão implacavelmente perseguidos, Túrin mata Glaurung com um golpe de sua espada negra no ventre do dragão. Em seu último ato, Glaurung amaldiçoa os filhos de Húrin uma última vez, deixando o protagonista inconsciente e devolvendo as memórias de Níniel, que descobre ser irmã do homem com quem se casou.

O triunfo de Túrin sobre Glaurung retrata bem como são trabalhados os conflitos entre dois seres no literário de Tolkien; não necessariamente o mais poderoso prevalece

No mais trágico dos finais, Níniel se atira na ravina de Cabed-en-Aras ao saber da verdade. Túrin também tira a própria vida ao descobrir o destino de sua amada, atravessando sua espada negra no peito. A maldição de Morgoth e vingança de Glaurung se concluem enfim.

Alguns pontos da obra

A saga dos filhos de Húrin narra os mais trágicos e obscuros eventos das grandes histórias da primeira era. Inversamente às narrativas onde os personagens heroicos triunfam e vivem em um mundo resolvido, a história de Húrin e seus filhos é repleta de sofrimento e finais lamentáveis.

Durante todo o decorrer da história, a maldição lançada por Morgoth é um poder real, como uma força do destino que arrasta a família de Húrin na desgraça.

A perseguição que Glaurung emprega contra os personagens é implacável. Ele faz uso de seus poderes nefastos, originados do espírito maligno para causar o mal. Os dragões de Tolkien são descritos, como sendo seu maior poder um espírito maligno que habita dentro de seus corpos, ainda mais terrível do que suas garras e chamas.

A espada negra de Túrin, Anglachel, é uma representação física de seu espírito, sempre inquieto e obscurecido. Em um momento de engano, Túrin mata acidentalmente Beleg e perde sua única grande amizade. A espada é reforjada em Nargothrond, agora chamada Gurthang, onde Túrin recomeça sua vida, e a leva consigo em seu último confronto contra Glaurung. Na morte de Túrin, a espada se quebra ao ser cravada em seu peito, quebrada assim como seu mestre.